Dúvidas Frequentes

Para quem é indicado as facetas de porcelana?

As facetas de porcelana são indicadas para aqueles pacientes que possuem dentes excessivamente restaurados, ou com formato inadequado ou escurecidos, que comprometam a estética;


Qual a diferença entre uma faceta de porcelana e uma coroa de porcelana?

Para fazer uma coroa de porcelana, geralmente é necessário o tratamento de canal do dente e desgaste de toda a estrutura dentária para a colocação de uma coroa. Por outro lado, para uma faceta não há necessidade de tratamento de canal e o desgaste é feita apenas na face estética e não em torno de toda a estrutura, como numa coroa;

Para quem é indicado o implante dentário?

Para quem perdeu um ou mais dentes;
Para quem utiliza prótese removível que não apresenta estabilidade e retenção;
Para quem utiliza prótese removível que está esteticamente comprometida;
Para quem tem dificuldades mastigatórias devido ao uso de próteses totais (“dentaduras” ou “chapas”) ou próteses removíveis (“pontes móveis”) com problema de estabilidade;

Quais são as taxas de sucesso dos implantes?

Os resultados dos implantes são estáveis. Mais de 93% dos casos são concluídos com sucesso. Uma boa higiene bucal e consultas de manutenção são essenciais para o bom funcionamento da prótese. Portanto, os implantes dentários precisam de cuidados assim como os dentes naturais e, se estes cuidados não forem tomados, a taxa de sucesso pode ser menor;

Quanto tempo se leva para colocar o dente definitivo?
O tempo de duração do tratamento depende de cada caso e do número de implantes a serem colocados. Via de regra, implantes colocados na arcada superior necessitam de 6 meses de espera para colocação do definitivo enquanto que na arcada inferior o tempo de espera é de 4 meses;

É muito doloroso para se colocar um implante?
Em todo o processo, a nossa preocupação é com o bem-estar do paciente.
Apesar dos medos, geralmente associados à imagem do dentista, a verdade é que a odontologia moderna dispõe de meios muito avançados para fornecer ao paciente um tratamento de alta qualidade e sem dor, tanto na colocação dos implantes, como nos dias seguintes ao procedimento;

Existem cuidados especiais com os implantes dentários?
Os implantes dentários requerem os mesmos cuidados básicos que temos com os dentes naturais, ou seja:
Escovação adequada e uso diário de fio/fita dental;
Bochechos com solução antisséptica diária;
Cumprir rigorosamente as instruções do dentista, específicas ao seu caso;
Visitas periódicas ao dentista num intervalo de 6 a 12 meses, no máximo;

Tenho doença de gengiva (periodontite). Posso fazer implantes?

Pode, desde que a doença gengival esteja tratada antes da colocação dos implantes e que você faça consultas periódicas de manutenção para evitar que a doença de gengiva retorne. As consultas de manutenção periodontal preventiva são essenciais para a longevidade dos implantes pois estes também podem sofrer com a doença de gengiva, caso o paciente não faça a higiene de um modo adequado. Lembrando que um paciente com doença periodontal deve fazer consultas periódicas para controle da doença e, quando este paciente possui implantes, este cuidado deve ser maior;

Perdi todos os meus dentes e uso dentadura. Gostaria de colocar implantes. Preciso colocar todos os dentes um a um?

Não. Quando uma pessoa usa dentadura (“chapa”), fazemos um procedimento diferente. Com 6 implantes posicionados em pontos estratégicos da boca podemos colocar uma prótese fixa, ou seja, uma prótese NÃO removível. Ou o paciente pode optar por colocar de 2 a 4 implantes onde será confeccionada uma prótese móvel que se fixa aos implantes. Nesta segunda situação, o paciente remove a prótese apenas para fazer a higiene. Independente do procedimento realizado, o paciente terá uma melhora na mastigação, fonética e estética;

Uso dentadura há muitos anos e noto que ela está frouxa. Não quero fazer implantes. O que posso fazer?

Com o passar dos anos a nossa gengiva tende a murchar, com isto a prótese fica desadaptada e frouxa. Além destes problemas, com o passar dos anos, os dentes da prótese ficam desgastados, diminuindo a eficiência mastigatória e, muitas vezes, prejudicando a estética. Nestes casos onde o paciente não deseja fazer implantes, o ideal é confeccionar uma prótese nova que irá proporcionar maior retenção e conforto, eficiência mastigatória, fonética e estética;

Durante a escovação dos dentes e uso do fio dental noto um sangramento da gengiva. Isto é normal?
Não, sangramento gengival sempre é sinal de acúmulo de placa. Este acúmulo pode ser por má-escovação, restaurações ou próteses mal-adaptadas. O ideal é procurar um periodontista para averiguar a real situação da gengiva e o porquê do sangramento, para poder indicar o correto tratamento;

Tenho diabetes. Quais as repercussões que podem ocorrer nas minhas gengivas?

O diabetes, quando não controlado, pode agravar uma doença de gengiva, acelerando o processo que pode levar a perda do dente. Do mesmo modo, uma doença de gengiva não tratada pode dificultar o controle do diabetes. Um bom acompanhamento feito pelo médico e pelo cirurgião-dentista é fundamental para o diagnóstico precoce do diabetes e de problemas gengivais;

Após o tratamento gengival, devo retornar ao periodontista?

Sim. Sempre há a necessidade de consultas periódicas para um adequado controle da doença. Cada paciente tem uma necessidade específica de retorno. Para que não haja retorno de problemas gengivais, o paciente deverá fazer consultas periódicas de acordo com a gravidade de sua doença tratada e sua capacidade de fazer uma boa escovação;
Por que fazer o tratamento ortodôntico?

Considerando o contato adequado entre os dentes superiores e inferiores, o correto posicionamento dos dentes contribui para uma melhor mastigação. Dentes mal posicionados ou que não se encaixam direito são difíceis de conservar limpos e, consequentemente, estão mais suscetíveis à ocorrência de cáries, doenças da gengiva e perdas dentárias. Eles também causam uma sobrecarga nos músculos mastigatórios, o que pode acarretar dores de cabeça, dores nas regiões dos ombros, costas, pescoço e ouvidos;

Qual o tempo de duração do tratamento ortodôntico?

Para cada paciente, construímos um plano de tratamento de acordo com o diagnóstico, o tipo de tratamento envolvido e a sua cooperação durante o processo. Em alguns casos, o tratamento poderá terminar antes do prazo previsto e, em outros, poderá levar mais tempo para a finalização. Por isso é fundamental tanto o correto diagnóstico por parte do cirurgião-dentista, quanto o comparecimento às consultas por parte do paciente para um bom andamento do tratamento;